Algarve – As praias de Portugal podem te surpreender

A região do Algarve é um dos muitos trechos lindos da costa portuguesa. No entanto, ali se desenvolveu uma estrutura turística que, hoje em dia, atrai visitantes do mundo todo.

Informações Práticas

Para chegar até lá é bem fácil. Como para conhecer a região com mais liberdade de horários/destinos é bem recomendável alugar um carro, pode-se ir de carro desde Lisboa ou ir até Faro de avião (ou até trem/ônibus) e alugar um carro por lá.

IMG_0614 (800x533)

Continue reading

Advertisements

Como ir a Fátima desde Lisboa

O Santuário de Fátima é um dos principais lugares de peregrinação do mundo e recebe ao longo do ano fiéis vindo de todos os lugares. Ele foi erguido no local onde, em 1917, os pastorinhos Lúcia, Jacinta e Francisco viram a aparição da Nossa Senhora do Rosário.

IMG_0009 (800x533)

Para chegar até lá é bastante simples. Embora haja um trem até a cidade, a estação fica bem longe do santuário. O mais recomendado, então, é ir de ônibus. A rodoviária fica a poucos passos do santuário e você não precisará de nenhum outro meio de transporte para chegar até lá. Continue reading

Dois Dias na Cidade do Porto

Para quem está em Lisboa, a Cidade do Porto é uma ótima opção de passeio. Com dois dias livres, dá para conhecer tranquilamente suas melhores atrações.

Os trens partem diariamente de Lisboa, com viagem de aproximadamente 3 horas. Como são muitas opções por dia, é tranquilo comprar na estação, mas se já quiser ir com a viagem mais planejada, é possível comprar pela internet no site da CP. Os tickets vem por e-mail. Caso prefira, também há a opção de avião (veja nossa opinião sobre trem x avião aqui).

Outra boa dica, caso vá voltar para o mesmo hotel em Lisboa, é deixar suas malas por lá e levar apenas uma mala pequena de mão para os dias que vai passar no Porto. A Estação São Bento (estação de trem do Porto) já fica muito perto das partes mais turísticas da cidade, então caso seu hotel fique nessa região (o que não é difícil), dá até para chegar até ele à pé, caso não esteja com muitas malas. O nosso ficava a 400m e nós fomos andando – ficamos no Oporto House bem localizado e novinho – em 2012.

DIA 1

Igrejas Nossa Senhora do Carmo e Carmelitas, Torre dos Clérigos, Sé, Palácio da Bolsa, Igreja de São Francisco, Ribeira, Cave Calém

Nós partimos de Lisboa (post aqui) em um dia bem cedo e chegamos no Porto por volta das 10:00h. Embora não seja uma atração turística, a própria Estação São Bento já é linda, toda decorada com azulejos portugueses. Continue reading

Conhecendo Lisboa

Com certeza eu herdei o gosto de viagem dos meus pais, que não perdem a oportunidade de pular num avião quando tem a chance. O vício de já partir com o maior número de coisas prontas veio do meu pai, que já esquematiza toda a viagem antes de sair de casa. O jeito de aproveitar os dias no destino veio da minha mãe, que pula da cama cedinho e se recusa a voltar pro hotel enquanto há luz do dia.

Então, quando decidi viajar a um país da Europa que eu ainda não conhecia, achei que ela fosse uma boa companhia: “Mãe, vou aproveitar os feriados de novembro pra conhecer um pouco de Portugal. Quer ir comigo? Mas vou fazer um roteiro bem corrido e preciso economizar em hotéis, topa?”. Minha mãe, que não é de recusar uma viagem, disse sim na mesma hora.

No total, eu tinha quase 5 dias inteiros, que com uma ajudinha da minha mãe, que já conhecia os destinos a serem visitados, ficaram divididos entre 2 e meio para Lisboa, 1 para Sintra e 2 para o Porto.

unnamed

Disposição dos bairros de Lisboa

Nosso roteiro em Lisboa ficou esquematizado como conto a seguir. Continue reading

Sintra

Sintra não é só mais uma daquelas charmosas cidadeszinhas portuguesas, nas quais é uma delícia se perder nas suas ruelas e tomar uma taça de vinho aqui e comer uma sobremesa acolá (aqui, no caso, o doce mais renomado é o “travesseiro” da Piriquita). Sintra conta com diversas atrações e com construções que impressionam pela grandiosidade e pela beleza (horários e preços aqui). Está a cerca de 40 minutos de trem de Lisboa, e a passagem custa menos de três euros! Ou seja, um programa de um dia – ou mais, para quem tiver tempo sobrando – imperdível. Fui em novembro de 2013 e recomendo!

Obs. Maíra: o trajeto de trem é feito pela CP e o número do ônibus que passa pelas principais atrações em Sintra é o 434.  A Piriquita fica numa travessa que sai da praça do Palácio Nacional. 

Saindo da estação de trem à direita, já é possível pegar o ônibus turístico (daqueles que você pode pegar e descer o dia todo e paga uma só passagem) que passa em frente a uns dos principais pontos de Sintra: Palácio Nacional, Castelo dos Mouros e Palácio da Pena. Nós fomos andando até o centro – pra aproveitar e ver umas esculturas neste caminho!- e pegamos este ônibus lá.

                                                                        ???????????????????????????????

Deixamos passar o Palácio Nacional e fomos direto ao Castelo dos Mouros (compramos o ticket combinado do Castelo + Palácio da Pena). Na verdade, não se trata mais de um castelo, mas das ruínas que sobraram dessa edificação feita pelos árabes no século VIII. Além da própria construção que impressiona, a vista que se tem da cidade é incrível.

??????????????????????????????? ???????????????????????????????

???????????????????????????????

obs. Maíra: o Palácio Nacional não atrai muito por fora, porque – pelo menos quando fui – estava meio detonado. Por dentro, o mais interessante são as salas com azulejos e a cozinha, com a chaminé e alguns utensílios da época. A visita, na minha opinião, não é imperdível. Da praça do palácio, dá pra ver o Castelo dos Mouros em cima da montanha.

 DSC01096 (600x800)

DSC01092 (800x600) DSC01104 (800x600)

IMG_0018 (800x533)

Depois, fomos ao Palácio da Pena, declarado Patrimônio mundial pela Unesco. Por dentro, os móveis são mantidos como eram utilizados pela família real. Mas é por fora que está o seu maior charme: a construção segue o estilo romântico do século XIX e encanta pelas cores fortes. Pra completar o ambiente, ao seu redor estão mais de 200 hectares de jardins. Uma das construções mais bonitas que conheci em todo Portugal!

??????????????????????????????? ???????????????????????????????

???????????????????????????????

De ônibus, voltamos para almoçar em um dos restaurantes no centro histórico. Uma opção para quem quiser comer bem – mas um pouco cara – é o Café Paris. Depois, fomos a pé até a Quinta da Regaleira, um lugar um tanto peculiar que, além do palácio, conta com capelas, lagos e estátuas espalhadas nos imensos jardins – além de tuneis, poços e, dizem, diversos símbolos maçons espalhados. No mínimo, interessante!

                                                                   ???????????????????????????????

Embora seja possível conhecer Sintra em um bate e volta de Lisboa, como não iríamos voltar pra lá – mas seguir viagem para o norte de Portugal – , optamos por passar a noite na cidade. Contudo, depois das seis, sete da noite, fica tudo meio deserto e são poucas as opções de restaurantes abertos (a melhor opção é, com certeza, ir embora no mesmo dia!).  Mas até isso foi compensado pela vista incrível que tivemos no café da manhã do hotel em que ficamos.

obs. Maíra: como estava com a minha mãe, optamos por pegar um carro particular com motorista, que nos levou pra Sintra. Fechamos direto com a recepção do hotel e nos custou EUR70,00 (novembro de 2012) para o dia todo. Aproveitamos que estávamos de carro e passamos na ida pelo Cabo da Roca (ponto mais ocidental a Europa) e, na volta, pela Boca do Inferno (essa só vale a pena se não for dedicar um dia ou uma tarde inteiros a Cascais). A vantagem de estar de carro é que você não precisa ficar preso aos horários do trem/ônibus. A desvantagem é que fica (muito!) mais caro: EUR35,00 por pessoa x aprox. EUR8,00 de trem + ônibus.

IMG_0033 (533x800) IMG_0037 (533x800)

IMG_0048 (800x533)

Boca do Inferno

Obs. Maíra: no programa, dá pra tentar incluir, ainda, uma visita ao Palácio de Queluz (palácio de verão da família real portuguesa) , mas não fomos porque achamos que ficaria corrido. Se for incluir no seu roteiro, o trem Lisboa-Sintra faz uma parada na estação Queluz-Belas (a +/- 1km do local).  

Aveiro: programa de um dia!

Aveiro é uma daquelas cidades que decidimos parar só porque estava no caminho entre Coimbra e Porto, nosso destino final, mas se mostrou uma boa surpresa! A cidade é conhecida como a “Veneza Portuguesa” em função dos moliceiros – barcos que eram usados originalmente para pesca e são decorados com motivos festivos, meio pornográficos ou cômicos.

“ai ai se te pego” : Michel Teló também aparece nos moliceiros!!!rs

???????????????????????????????

Embora possa parecer pequenininha, a cidade engana: conta com a Universidade de Aveiro, bem conceituada em Portugal (e que, aliás, concedeu o título de doutor honoris causa ao nosso Gilberto Gil!) e com um shopping a céu aberto com diversas marcas renomadas. Mas, claro, a atração principal e imperdível é passear de moliceiro! O passeio demora em torno de 45 minutos, durante os quais o remador vai apresentando os monumentos, as salinas que ainda são utilizadas e contando um pouco da história da cidade.

aveiro II ???????????????????????????????

Na Praça do Peixe são diversas opções de bares e restaurante, como o delicioso O Batel, que acabamos escolhendo. E, por falar em comida, outra atração da cidade (mas que eu não gostei tanto assim!) é o ovo mole, sobremesa típica da região.

eu me deliciando no restaurante O Batel!

Nós passamos uma noite lá, no hotel Aveiro Palace (muito bom!) e no dia seguinte, pegamos o trem e seguimos para Porto, felizes em descobrir a charmosa Veneza de Portugal.

Uma última observação: há trens saindo de Coimbra e Porto, e a viagem demora em torno de uma hora. É uma boa opção para um passeio de um dia! Consulte preços e horários no site da empresa Comboios de Portugal.

TREM NA EUROPA – GUIA PRÁTICO

Se você é como eu e gosta de ir com tudo já acertado aqui do Brasil, inclusive as passagens de trem, esse post é pra você.

 320227_10151015467781398_1033366324_n (718x538)

Considerações Gerais

Pra toda e qualquer viagem que eu planejo fazer, o primeiro pitstop pra busca de informações é no Viagem na Viagem, ou VnV, como aparece em alguns posts por aqui.

O Ricardo Freire é ótimo e, mesmo que você não encontre o que procura no grande conteúdo do blog, eles respondem com a maior calma e eficiência todos os comentários. Continue reading