O que Fazer no Cairo Além das Pirâmides

Como contei nesse post aqui, nosso primeiro dia no Cairo foi exclusivamente dedicado a explorar os monumentos do Império Antigo, as famosas pirâmides de Gizé e para o bate-e-volta para pirâmides próximas.

Pelo roteiro original, nós iríamos passar o dia seguinte também no Cairo mas, devido às datas dos cruzeiros, acabamos fazendo toda a parte entre Aswan e Luxor antes de explorar o resto da Cidade do Cairo.

No final, achei essa mudança ótima, pois fomos fazendo as coisas mais em ordem cronológica e, quando finalmente visitamos o Museu do Cairo, já tínhamos visitado os lugares onde todos aqueles objetos foram encontrados e deu para ter uma noção maior de seu contexto.

Citadela e Bazar Khan el Khalili

Começamos nosso dia visitando a Citadela do Cairo, que não tem qualquer relação com a civilização egípcia antiga, mas já seria considerada antiga o suficiente na maioria dos países do mundo (é que no Egito as noções de velho e novo são redefinidas). Foi construída no período medieval islâmico, pelo governante Saladino, por volta de 1.776-1183 d.C, para proteger a cidade das cruzadas que estavam tendo início.

IMG_1166 (Small)

Mesquita Mohammed Ali

A citadela também é muitas vezes mencionada como Mohammed Ali Citadel, porque sua principal construção é a mesquita otomana de mesmo nome. Continue reading

Advertisements

Luxor: Passeio de Balão e Vale dos Reis

Nosso segundo dia em Luxor começou cedo, com o passeio de balão que sobrevoa a margem oeste do Rio Nilo, onde está o Vale dos Reis. O passeio é legal por dar a dimensão, de cima, da diferença entre as áreas férteis das margens alagadas e o deserto logo após o fim da irrigação.

IMG_1093 (Small)

Fim da área fértil e começo do Vale dos Reis

O legal é que o balão sobrevoa dois templos erguidos naquela margem: o da Faraó Hatshepsut e o Ramesseum coligado ao Templo de Amenhothep II (esse da foto aí em cima) . Continue reading

Luxor: a antiga capital Tebas

A Cidade de Luxor surgiu das ruínas da Cidade de Tebas, capital do Império Novo (1.550 – 1.069 a.C). Após a reunificação do norte e do sul, teve início a 18ª Dinastia, formada por faraós que tinham origem no local e mudaram a capital do império para lá.

Diferentemente do Império Antigo, onde os faraós construíam as pirâmides com a principal finalidade de serem templos funerários, os templos do Império Novo tinham mera finalidade religiosa. A Cidade de Tebas estava localizada na margem leste do Nilo, que simbolizava a vida, enquanto os faraós eram enterrados na margem oeste, no Vale dos Reis, que simbolizava a morte (qualquer semelhança com o movimento do sol e sua ligação com o Deus Amon-Rá não é mera coincidência).

Além do Templo de Karnak (que ganhou esse post só para ele), a Cidade de Tebas era sede de outro templo famoso e que agora empresta seu nome à cidade atual: o Templo de Luxor.

Fachada do Templo de Luxor iluminda

Final da tarde nas ruínas do templo

A grande maioria dos turistas deixa para visitar o templo no final da tarde e de noite, pois ele fica bem bonito com o cair do sol e a iluminação noturna. Continue reading

Templo de Karnak

O Templo de Karnak é, sem dúvidas, um dos pontos altos da viagem ao Egito. Ele é inteiro lindo, mas seus pontos altos são o Colosso de Ramsés II, o Grande Salão Hipostilo (Salão das Colunas) e o Templo do Grande Festival.

IMG_0886 (Small)

Um dos pátios abertos do Templo de Karnak

O Templo de Karnak era o maior do Egito e era dedicado principalmente ao Deus Amon-Rá, identificado como o sol e um dos mais importantes da mitologia, embora nem sempre tenha sido assim. Continue reading

Templo de Edfu

O Templo de Edfu é mais um dos que ficam no trajeto do cruzeiro entre Aswan e Luxor. Desembarcamos do navio super cedo, a ponto de pegar o sol nascendo na margem oposta do Nilo e a beleza do espetáculo já afastou qualquer chateação por ter caído da cama.

Bom dia, Nilo!

No lugar de desembarque do navio ficam várias carroças esperando os turistas para fazer o trajeto do porto até o templo. Após a visita, você embarca na mesma carroça, que te levará de volta ao navio para o café da manhã. Dou essa informação porque eu, particularmente, não sou muito fã desse tipo de transporte, ainda mais considerando as condições dos cavalos que estavam puxando a gente. Então, caso vc também não goste, pode ver uma forma alternativa de chegar ate lá.

O Templo de Edfu é dedicado ao Deus Hórus (ou Deus Falcão) e foi construído na era Ptolomeica (expliquei um pouco aqui).

Templo de Edfu

O seu ponto alto é a “fachada”. Tecnicamente conhecida como pilono, é essa estrutura com um portal de entrada e duas “torres laterais”, cada uma com aproximadamente 37 metros  de altura.  Continue reading

Templo de Kôm Ombo

Após nossa visita a Abu Simbel, embarcamos no nosso cruzeiro pelo Nilo e iniciamos o trajeto tradicional, que vai de Aswan a Luxor (ou vice-versa). No dia seguinte ao nosso embarque, logo cedo o navio já estava atracado exatamente em frente a outro templo bem legal que conhecemos pelo caminho, o de Kôm Ombo.

IMG_0760

Kom Ômbo

Construído na Dinastia Ptolomeica,  no século II a.C. (relativamento novo), é um dos únicos templos dedicados a duas divindades. Um de seus lados exalta Sobek, o deus crocodilo e criador do mundo, enquanto seu outro lado dedica-se a Horus, o deus falcão.  Continue reading

Abu Simbel

Depois das Pirâmides de Gizé,  Abu Simbel é um dos monumentos históricos mais conhecidos do Egito. E não é pra menos. O tamanho da construção realizada na encosta de um monte impressiona qualquer um!

Abu Simbel

Outra informação bem conhecida sobre o templo é sua mudança de lugar. Com a construção da barragem de Aswan na década de 1960, o templo seria inundado pelas água do Rio Nilo. Houve uma grande comoção internacional e a UNESCO levantou fundos com diversos países para ajudar e custear sua transposição para um local seguro. Continue reading

Aswan: primeiro contato com o Rio Nilo e passeio de feluca

É de Aswan, que fica à beira do Nilo, que saem os cruzeiros que vão subindo até Luxor e visitando os vários templos que estão localizados ao longo das margens nesse trecho.

Rio Nilo visto do nosso quarto em Aswan

Pelo nosso roteiro inicial, nós voaríamos para Aswan bem cedo, visitaríamos o Templo de Philae, faríamos um passeio de feluca pelo Rio Nilo e já embarcaríamos no cruzeiro lá mesmo. Continue reading

Bate-e-volta do Cairo: Darshur, Saqqara e Memphis

Saindo do Complexo de Gizé e do Cairo, fomos até a Pirâmide de Darshur, também conhecida como Pirâmide Vermelha, devido à coloração de suas rochas.

Pirâmide de Darshur

Esse passeio não estava incluído no programa normal, mas pedimos para adicioná-lo pois tínhamos lido em muitos lugares que as pirâmides de Gizé eram extremamente cheias de turistas e ambulantes e que era impossível sentir a energia do lugar. Lemos várias indicações de ir a Darshur, pois é uma pirâmide pouco frequentada por turistas. No final, como chegamos bem cedo nas pirâmides de Gizé, não sentimos esse incômodo que muitos falaram e  conseguimos aproveitar bem o lugar. Continue reading

Cairo – Pirâmides de Gizé

Não há como negar que as pirâmides de Gizé exercem um fascínio em grande parte da população mundial. Quem nasceu no mundo globalizado com certeza já viu fotos e vídeos das pirâmides milhões de vezes, já estudou sua história e já ouviu alguma das muitas lendas que tornam esse lugar tão místico.

Eu sonho em conhecer o Egito desde criança, quando ganhei um livrinho sobre as pirâmides e fiquei absolutamente fascinada por essa civilização antiga. Quando finalmente chegou o dia de conhecer as pirâmides, minha expectativa era tão alta e tão antiga que fiquei com um medo real de me decepcionar. Continue reading

Egito – Informações Práticas

Conhecer o Egito era um sonho desde a infância. Em 2011 eu estava com passagens compradas, mas precisei cancelar a viagem porque foi exatamente no auge da primavera árabe e dos protestos contra Hosni Mubarak. Durante muito tempo não me senti tranquila para visitar o país, até que as coisas ficassem relativamente calmas por um tempo.

Sonho realizado!

Apesar de algumas notícias esparsas de atentado, a situação no Egito parece estar mais estável nos últimos anos e o número de turistas está voltando a crescer. Isso foi suficiente para decidir retomar os planos de viagem e, no final de 2017, eu e a Karine finalmente visitamos o país. Continue reading

Sossusvlei – Algumas das Maiores Dunas do Mundo e Muito Mais

Como disse nesse post aqui, foi Sossusvlei que despertou meu interesse pela Namíbia.

Foi bem difícil conseguir juntar informações e ganhar confiança para montar a viagem sozinha, sem ter que recorrer a agências. Demorou para eu descobrir, inclusive, que, embora o nome da área de conservação onde ficam as dunas seja Sossusvlei, a área mais famosa, mais fotogênica e a que todo mundo quer visitar chama-se Deadvlei. É lá que está o lago seco, com as árvores petrificadas, rodeados por dunas alaranjadas.

IMG_8991 (Small)

Deadvlei

“Sossus vlei” significa algo como vale onde a água se acumula. Antigamente, por ali passava o enorme Rio Tsauchab (que hoje ainda existe, pequeno e quase seco). Ao longo dos anos, o rio foi trazendo areia e sedimentos até a costa da Namíbia. Continue reading

Sandwich Harbour – Um Pedacinho da Costa dos Esqueletos

A Costa dos Esqueletos da Namíbia é uma das regiões que ficaram conhecidas no período das grandes navegações, como uma das partes de mar mais difíceis de serem navegadas. A região é formada por dunas gigantescas que acabam no mar.

IMG_4626

Acontece que, nessa região, as dunas são espécies de icebergs. O que vemos na costa é a apenas a pontinha, já que as dunas se prolongam embaixo da água. Com a maré, essa parte submersa vai se movimentando, deixando praticamente impossível de saber a profundidade segura para navegação. Como resultado, muitos e muitos navios encalharam por lá. Continue reading

Windhoek – O Que Fazer Na Capital

Talvez comparada a outras capitais do mundo ou até mesmo com os parques de conservação da Namíbia, a capital Windhoek não tenha muito a oferecer turisticamente. Mas a cidade é uma gracinha, super limpa e organizada, e foi uma ótima surpresa no nosso roteiro.

Nós passamos só uma tarde e duas noites por lá, pois ela foi nossa porta de entrada e saída do país. As principais atrações turísticas da cidade estão uma ao lado da outra e é possível conhecê-las mesmo com o tempo curto.

IMG_4103

Nós começamos nosso tour pela Christuskirche, uma igreja fundada na época da colonização alemã e que parece saída de algum conto infantil. Continue reading

Turismo na Namíbia

Desde que eu vi uma foto de umas dunas perfeitas alaranjadas, com árvores secas e retorcidas e um céu azul atrás, a Namíbia entrou na minha bucketlist de viagens. Eu fiquei alucinada, morrendo de vontade de conhecer, mas a falta de informações na internet adiou meus planos por algum tempo.

IMG_8991 (Small)

Deadvlei

Grandes áreas da Namíbia são constituídas de parques de conservação. O maior deles é o Naukluft, que tem quase o tamanho da Suíça inteira. É ali dentro do Naukluft que está a área de Sossusvlei, onde ficam as dunas da foto aí em cima. Continue reading

Zanzibar

A ilha que é conhecida turisticamente como Zanzibar, é, na verdade, um arquipélago formado pelas ilhas de Pemba e Unguja. É nessa última que está toda a estrutura hoteleira e para onde vão os ferrys e os voos para o que chamamos Zanzibar.

A ilha ficou conhecida pelas praias paradisíacas formadas pelo Oceano Índico, com um mar azul-turquesa e areias brancas. Mas, além das praias, a ilha também tem muita história para contar.

IMG_4018

Apesar de Nungwi ser a praia mais famosa e da grande maioria das dicas turísticas recomendarem a hospedagem por lá, a verdade é que as praias bonitas de Zanzibar estão espalhadas pela ilha e os deslocamentos não são rápidos. Continue reading

Safáris no Massai Mara

O Quênia é considerado um dos melhores países do mundo para fazer safáris e, dentro dos seus vários parques, o Massai Mara é tido como a melhor escolha. O parque fica no sul do país, na divisa com a Tanzânia, mais especificamente com outro parque bem conhecido para a atividade, o Serengueti.

Quando ir

O que tornou ambos os parques tão famosos foi a imensa migração de gnus que ocorre entre julho e setembro – e essa é considerada alta temporada para visitar o parque.

IMG_3658

A divisa entre o Quênia e a Tanzânia quase coincide com a linha do equador. O primeiro fica no hemisfério norte, o segundo, no hemisfério sul. Por estarem em hemisférios opostos, o verão (época das chuvas) e o inverno (época das secas) acontecem Continue reading

Giraffe Manor – Café Com as Girafas Rothschild

Talvez você já tenha visto alguma foto de pessoas tomando tranquilamente seu café da manhã enquanto algumas girafas colocam a cabeça para dentro das janelas. Talvez você tenha pensado que era algum tipo de montagem, como eu pensei da primeira vez. Talvez, depois de descobrir que o lugar não só é real, como é um hotel, você coloque na sua listinha de desejos, como eu tinha feito …  até o começo desse ano.

IMG_7300

O Giraffe Manor é um hotel situado em Nairóbi, no Quênia, numa antiga propriedade de 1932, um pouco afastada da cidade e localizada numa área verde.

Só do hotel funcionar numa propriedade tão antiga e linda, com jardins e parques ao redor, já seria maravilhoso ficar hospedado por lá. Mas o melhor é a interação com as girafas, que têm lar permanente no lugar.

6174661536_img_7330

Na porta de entrada do hotel

O Giraffe Manor, junto com o centro a que é coligado, serve de casa para várias girafas Rothschild, subespécie atualmente em perigo de extinção. Continue reading