Irlanda do Sul e do Norte – Dicas Gerais e Roteiro

Muita gente associa a Irlanda em geral apenas a Dublin, seus inúmeros pubs e à grande quantidade de cerveja que circula por lá. Nada disso é mentira ou faltará na sua visita, mas limitar seu roteiro apenas ao pubcrawling da capital da Irlanda do Sul pode te fazer perder muita coisa bonita e legal.

Viajamos às Irlandas (lembre que são duas  – a do Norte e a do Sul – e ambas valem muito a  visita) em agosto desse ano, para tentar ao máximo garantir um clima um pouco menos instável devido ao verão europeu. As Irlandas possuem clima muito parecido (ou até pior) com o de Londres, então não espere muitos dias de sol, mesmo entre julho e agosto. Além disso, mesmo tendo pegado sol na grande maioria dos dias, sempre estávamos de calça, blusa de manga comprida e casaco. Mesmo no verão, o clima gira entre 17 e 20 graus e nos passeios a lugares à beira mar há muito vento. Vá preparado.

Mesmo com tempo bom no verão, com casacos nos Cliffs of Moher

Nosso roteiro ficou dividido da seguinte maneira:

Dia 1 – chegada a Dublin no final do dia (há voos diretos desde várias capitais europeias, mas não do Brasil)

Dia  2 – Dublin

Dia 3 – Dublin

Dia 4 – Bate-e-volta de dia inteiro a Cliffs of Moher

Dia 5 – Bate-e-volta de dia inteiro a Kilkeny + Glendalough + Wicklough

Dia 6 – Dublin/Belfast bem cedo e e city tour por Belfast

Dia 7 – Bate-e-volta de dia inteiro a Giants Causeway

Dia 8 – Belfast pela manhã e voo de retorno no final da tarde (também não há voos diretos ao Brasil, mas há para várias capitais europeias, principalmente do Reino Unido)

A grande maioria das pessoas hospeda-se apenas na Irlanda do Sul e conhece a Irlanda do Norte por um passeio bate-e-volta a Giants Causeway (um dos principais pontos turísticos do país), que geralmente inclui também um city tour em Belfast ou uma visita ao Titanic Experience.

Nós optamos por nos hospedar 2 dias em Belfast (capital da Irlanda do Norte) por duas razões principais: queríamos ter tempo para conhecer bem a capital (que é linda e tem muita coisa interessante sobre a história política recente do país) e o passeio bate-e-volta a Giants Causeway (que fica na Irlanda do Norte) que sai desde Belfast é bem menos cansativo e muito mais completo do que o que sai de Dublin.

Giants Causeway

Fomos de Dublin a Belfast de trem e foi muito tranquilo. Adquirimos com antecedência nossos tickets no site da Irish Rail e trocamos no dia com o numero da reserva num toten da estação. O trem sai da estação Connolly em Dublin e para na estação Central em Belfast. No ticket do trem já está incluída a baldeação da estação Central para a estação Great Victoria Street, perto de onde ficamos e onde acredito ser a melhor região para se hospedar em Belfast.

Nosso hotel em Dublin foi o Blooms Hotel. Pegamos só pela localização mesmo (que, de fato, era muito boa tanto para passeios, como para restaurantes pubs à noite), porque sabíamos que as instalações não eram excelentes. No final, as instalações não foram um problema, mas sim o barulho que a balada embaixo do hotel fez no nosso quarto na sexta e no sábado. O barulho era alto a ponto de acordar 3 pessoas que tinham tomado remédio para dormir.

Apesar do agito, acredito que a melhor região para se hospedar em Dublin seja mesmo a do bairro Temple Bar para hospedagem em Dublin (veja nos comentários dos sites de reserva sobre o hotel ser barulhento ou não – e leve em consideração tais informações rs!).

Outra opção é a região logo acima do rio, na mesma altura do Temple Bar. Dublin não é grande e ficar do outro lado do rio pode te garantir uma boa localização com menos barulho.

Como disse, nosso hotel ficava na região Temple Bar e, como a cidade é pequena, fizemos quase tudo à pé. Só para a Heinekken Experience e a Kilmainham Gaol usamos Uber (que saiu mais barato do que pagar 3 passagens de transporte público).

Nosso hotel em Belfast foi o Jurys Inn, com quartos muito bons e uma localização maravilhosa. Recomendamos bastante.

Se sua viagem se resumir às Irlandas, vale mais a pena deslocar o dia 3 em Dublin para baixo na viagem. Assim, você deixa suas malas em Dublin e vai para Belfast apenas com uma mochila para os 3 dias que passará por lá. Se sua viagem incluir outros países, já vale mais a pena ir embora direto de Belfast, como está no roteiro original.

Quando chegamos à Irlanda do Sul e fomos recepcionadas por chuva, frio e um policial da imigração que perguntou por qual motivo decidimos visitar a Irlanda, confesso que não estávamos com as expectativas mais altas do mundo. No final, voltamos com a certeza de que o país realmente não explora turisticamente o potencial que tem.

Veja também:

A Cidade de Dublin

Side Trips desde Dublin

Atrações de Belfast

Giant’s Causeway

Advertisements

One thought on “Irlanda do Sul e do Norte – Dicas Gerais e Roteiro

  1. Pingback: A Cidade de Dublin | Diários de Férias

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s