Nós Vamos Para a Índia!!

Considerações Gerais

Ao dizer que seu próximo destino de viagem é a Índia, é inevitável ouvir comentários do tipo: “o que vocês vão fazer lá?”, “você sabe que é muito sujo, né?”, “se prepara para passar mal com a comida”. Ou, no outro oposto: “meu sonho de viagem”, “vocês vão amar”, “a melhor viagem da minha vida”.

Essa é a Índia. O país parece ter uma força própria, que não permite a nenhum de seus visitantes passar indiferente. Uns amam-na, outros odeiam-na, com a mesma força e intensidade.

india1

Fonte: Instagram @natgeo

Acreditamos que o fundamental para toda viagem bem sucedida ao país é uma preparação adequada. Desembarcar apenas com as imagens romantizadas das novelas e filmes, esperando encontrar somente palácios e sáris coloridos é a chave para um choque à primeira vista e para a vontade de fazer as malas no mesmo instante e voltar para casa. Por outro lado, visitar a Índia já com preconceitos, julgamentos e comparações com conceitos e valores ocidentais é a chave para não se permitir sequer tentar gostar do país.

Como em qualquer viagem a países que “fogem do comum” às nossas concepções ocidentais, o importante para não se decepcionar é a aceitação. Entender que o mundo é grande e que cada sociedade baseia-se em diferentes regras sociais, de cultura e religião e que o que estamos acostumados não é o absoluto ou o correto.

A Índia tem um bilhão de pessoas vivendo no mesmo país, dos quais mais de 700 milhões são pobres e indigentes. Os números podem ajudar a compreender porque as condições do país e o comportamento da população são completamente diferentes dos nossos. Por outro lado, um sistema de castas, por exemplo, nunca fará sentido (ao menos para nós), então o caminho mais fácil é simplesmente aceitar e lembrar que ali você é o visitante.

Mas porque, então, visitar um país assim? Não há resposta objetiva. Do mesmo jeito que a Índia causa repulsa em muita gente, atrai magneticamente outros – e esse é o nosso caso. Simplesmente porque o país sempre rondou nossa lista de viagens, mas chega um momento em que nenhum outro destino parece tão interessante.

Nossa Viagem

Sendo sinceras, a Índia sempre nos atraiu, da mesma maneira que nos amedrontou.

Claro que quanto mais “roots”e “espontânea” for uma viagem, maior o contato com a essência de qualquer país. Por outro lado, é a nossa primeira viagem para lá e, sendo a Índia um país descrito como “difícil” até mesmo por viajantes super experientes, tentamos nos cercar de tudo o que pudesse nos dar mais confiança.

A maioria dos relatos dos viajantes apontam o cansaço (psicológico) extremo ao final do dia. Não há como negar que qualquer saída do hotel significa um bombardeio de cheiros, sons, imagens, gente e informações. Assim, mesmo sabendo que não vamos passar muito tempo lá e que sim, eles são muito caros, optamos por hotéis que nos permitam estar confortáveis e relaxadas ao fim de cada dia. Somou-se a isso o fato de que muitos dos hotéis de luxo foram ex-palácios de marajás e o amor pela história nos fez bater o martelo.

Mais do que isso. Embora sejamos fãs absolutas de planejar as viagens por conta própria, acabamos optando por contratar uma agência. Embora dois amigos tivessem recomendado fortemente a Agência Luxe India, acabamos optando por fechar a viagem com o maior conforto possível. Leia-se: poder trocar e-mails em português e poder passar a mão no telefone e ligar para a sua agente no horário brasileiro sempre que tiver alguma dúvida. Já tinha viajado com a Latitudes antes e não pensamos duas vezes antes de voltar a contatá-la. Qual foi nossa surpresa ao descobrir que a agência que eles sub-contratam lá no destino é a própria Luxe India. Deu um alívio imediato!

Como nenhum dos roteiros pré-montados atendia exatamente ao nosso desejo, a Meire (que é ótima) nos ajudou a montar um roteiro personalizado, fazendo mágica para fazer caber tudo o que queríamos visitar nos nossos dias de férias disponíveis. Embora todos os transportes e guias sejam privativos (para não termos que seguir nenhum horário pré-estabelecido ou depender do ritmo de algum grupo), o custo da viagem foi (um pouco) abatido pelo fato de estarmos viajando em quatro.

india2

Fonte: Instagram @natgeo

Nosso Roteiro

Enquanto o Rajastão é sinônimo de marajás e guarda a Índia de antigamente, com seus palácios, fortes e mausoléus, Delhi e Varanasi são repletas de pobreza, lixo e – no caso dessa última – corpos. Que boiam. No rio. Por outro lado, não dá para negar que a cultura e os costumes são as maiores riquezas do país e visitar apenas uma Índia pasteurizada nos pareceu incompleto.

Nosso roteiro, então, ficou da seguinte maneira:

Dia 1. Vôo SP/Delhi

Dia 2. Delhi.

Dias 3 a 6. Butão

Dia 7. Delhi – Udaipur.

Dia 8. Udaipur.

Dia 9. Udaipur – Ranakpur – Jodhpur.

Dia 10. Jodhpur.

Dia 11.  Jodhpur – Jaipur.

Dia 12. Jaipur.

Dia 13. Jaipur.

Dia 14. Jaipur – Fatehpur Sikri – Agra.

Dia 15. Agra – Varanasi.

Dia 16. Varanasi.

Dia 17. Varanasi – Delhi.

Dia 18. Vôo Delhi/SP

Os hotéis escolhidos foram os seguintes (a agência indicou hotéis maravilhosos, ficamos com alguns, mas outros pedimos para mudar para baratear um pouco):

Delhi: Le Meridien

Udaipur: Trident Udaipur Update pós viagem: ganhamos um upgrade para o Oberoi Udaivilas e estamos até agora sem palavras para descrever o hotel maravilhoso!!

Jodhpur: Vivanta by TAJ Hari Mahal

Jaipur: Trident Jaipur

Agra: The Oberoi Amarvilas

Varanasi: Ramada Plaza Varanasi

Informações Gerais

Fechamos com a Latitudes apenas a parte terrestre. Os vôos de borda e internos foram comprados por conta própria. Pesquisamos todos no skyscanner e depois compramos direto na cia aérea que tinha o melhor preço/horários.

Tanto para a Índia quanto para o Butão, exige-se visto para brasileiros. O do Butão é sempre providenciado por meio de agências (não é possível fazer uma viagem independente ao país, mais informações na sequencia da Débora sobre o Butão). O visto da Índia tiramos por conta própria.

A estação fria da Índia vai de dezembro a fevereiro. A quente vai de março a maio e pode atingir temperaturas de 40ºC. Evite a época de monções, que vai de junho a setembro.

Ótimos meses para viajar à Índia (que também são bons para o Butão, caso queira acrescentá-lo na sua viagem) são outubro e novembro.

Escolhemos o mês de fevereiro por ser inverno na Índia (temperaturas por volta de 20C a 24C no Rajastão e Uttar Pradesh) e pela possibilidade de diminuir os dias necessários de férias juntando com o feriado do carnaval. Entretanto, não é o melhor mês para conhecer o Butão, porque o inverno de lá costuma ser bem gelado. Nem tudo é perfeito ou sai do jeito que queremos … o Butão foi incluído na viagem quando a viagem para a Índia já estava fechada. ** Update pós viagem: embora tenhamos pegado temperaturas negativas no Butão, os dias foram ensolarados durante toda a nossa estadia e o guia no disse que em fevereiro os dias costumam ser assim. 

Mal conseguimos segurar a empolgação! Na volta da viagem faremos posts detalhados sobre cada uma das cidades pelas quais passarmos. Nesse meio tempo, será possível acompanhar a viagem “ao vivo” pelo nosso instagram (@diariosdeferias).

Até lá!

Karine e Maíra

Veja também:

Nós Vamos Para a Índia!! – o que esperávamos, nosso roteiro e dicas práticas

Nós Fomos Para a Índia …. e Amamos!!! – impressões gerais e mais dicas práticas

Delhi: a capital do subcontinente indiano

Udaipur – A Primeira Parada no Rajastão

Ranakpur – Os Templos Jainistas

Jodhpur – A Cidade Azul

Jaipur – A Cidade Rosa do Rajastão

Fatehpur Sikri – A capital abandonada do Império Mongol

Agra e o Taj Mahal

A cidade sagrada de Varanasi

Advertisements

11 thoughts on “Nós Vamos Para a Índia!!

  1. Pingback: Nós Fomos Para a Índia …. e Amamos!!! | Diários de Férias

  2. Pingback: Delhi: a capital do subcontinente indiano | Diários de Férias

  3. Pingback: Udaipur – A Primeira Parada no Rajastão | Diários de Férias

  4. Pingback: Ranakpur – Os Templos Jainistas | Diários de Férias

  5. Pingback: Jodhpur – A Cidade Azul | Diários de Férias

  6. Pingback: Fatehpur Sikri – A capital abandonada do Império Mongol | Diários de Férias

  7. Pingback: Jaipur – A cidade rosa do Rajastão | Diários de Férias

  8. Pingback: Agra e o Taj Mahal | Diários de Férias

  9. Pingback: A cidade sagrada de Varanasi | Diários de Férias

  10. olá.
    primeiramente adoro o blog de vocês
    devo ter visto todos os posts sobre a india e vietna ja =)
    mas as duvidas ainda persistem, poderiam por favor me ajudar ?

    viajarei por 24 dias em março /2017 com meu marido para India e Vietnam.

    Estou com o seguinte cronograma:

    25 Fev’17 BRASIL/CIDADE DE CONEXÃO
    26 Fev’17: CHEGADA EM DELHI
    27 Fev’17: DELHI
    28 Fev’17: DELHI – AGRA
    01 Mar17: AGRA
    02 Mar’17: AGRA – JAIPUR
    03 Mar’17: JAIPUR
    04 Mar’17: JAIPUR – JODHPUR
    05 Mar’17: JODHPUR
    06 Mar’17: JODHPUR – UDAIPUR.
    07 Mar’17: UDAIPUR
    08 Mar’17: UDAIPUR -> DELHI -> VARANASI
    09 Mar’17: VARANASI
    10 Mar’17: VARANASI – DELHI E PARTIDA PARA VIETNAM
    11 Mar’17 DELHI – HANOI (CHEGADA VIETNAM)
    12 MAR’17 HANOI
    13 MAR’17 HANOI -> HALONG (DORME EM HALONG)
    14 MAR’17 HALONG -> HANOI / DANANG // HOI AN
    15 MAR’17 HOI AN
    16 MAR’17 HOI AN -> DANANG // HUE
    17 MAR’17 HUE / HO CHI MINH
    18 MAR’17 HO CHI MINH
    19 MAR’17 HO CHI MINH / RETORNO BRASIL

    Duvidas:
    1) estão bem distribuidas as cidades e tempos ? as sequencias das rotas estão corretas ?
    2) gastariam mais/menos dias em algum dos dois destinos?
    3) na india – tinha intúito de conhecer rishikesh. Qual cidade do rajastao seria possivel fazer em menos tempo ou deixar de ir ?
    4) no vietnam – tinha intúito de conhecer outros locais (sobretudo Ninh binh e o Delta do Mekong) .Alguma sugestão onde seria possivel fazer em menos tempo ou substituir (retirar HUE do trajeto ?)

    Agradeço muito pela colaboração

    Um abraço

    Ana

    • Oi, Ana. tudo bem?
      Nos relatos aqui no post nós colocamos as nossas experiências, é difícil falar sobre o melhor roteiro ou quantos dias passar em cada lugar para outras pessoas, pois os ritmos e estilos de viagem são muito diferentes!
      De qualquer forma, se você não ligar de ter o roteiro corrido, acho que 1 dia inteiro em cada uma dessas cidades do Rajastão que você mencionou dá para ver o principal, sim. Não sei como serão seus deslocamentos entre elas nem dentro delas …
      Eu gostei muito de todas as cidades que visitamos na Índia, não tiraria nenhuma do meu roteiro, mas, se tivesse que escolher, talvez sacrificaria Jodhpur. Isso é muito difícil dizer porque viagem é uma coisa muito pessoal. Pode ser que Jodhpur fosse sua preferida. Dá uma olhada nos lugares que visitamos em cada uma delas e veja quais te atraem menos …
      Sobre o Vietnã, infelizmente eu conheço apenas Ho Chi Minh, não consigo te ajudar!!
      Beijos e boa viagem!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s