OAHU

A ilha de Oahu é a principal e mais visitada do Havaí. É a ilha com a melhor infraestrutura turística e, por hospedar o maior aeroporto, é a porta de entrada do arquipélago.

Confesso que não imaginava encontrar um ambiente tão cosmopolita e moderno no Havaí (estereótipos são assim mesmo..rsrsrs). A principal cidade – e também capital – Honolulu, tem tudo que se espera de uma metrópole, hotéis modernos, restaurantes, shoppings, mas preserva um clima delicioso de cidade praiana. Aliás, achei os havaianos muito simpáticos, sempre com sorriso no rosto e dispostos a ajudar! 

O melhor lugar pra ficar (com mais infraestrutura, mais turístico e, por isso, também mais caro) é próximo à praia de Waikiki, na região de Honolulu, no sul da ilha.

O hotel que fiquei foi o OHANA Waikiki East. Fica bem perto da praia de Waikiki e da Waikiki Beach Walk, onde há vários restaurantes, lojinhas. Eu gostei porque dava para passear a noite, jantar por lá e voltar pro hotel a pé. É uma hospedagem mais urbana.

Há quem prefira ficar na parte norte da ilha (North Shore) onde estão as praias mais selvagens e preferidas dos surfistas.. quando passei por lá, vi algumas pousadas e hotéis menores, é um estilo mais praiano mesmo.

Abaixo uma descrição dos passeios que fizemos por lá:

Dia 01

Como chegamos no fim da tarde, pegamos o carro no aeroporto e fomos para o hotel tomar um banho e nos recuperar do jetlag. À noite (só que com o dia ainda claro) demos uma passadinha na praia de Waikiki.

DSC04549

A praia é cheia de surfistas, mas há áreas reservadas para banhistas apenas. Nessas áreas, praticamente não há ondas, parece uma piscina.

Tomamos nosso primeiro maitai (drink típico polinésio, feito com rum) e voltamos andando pela Waikiki Beach Walk, uma avenida pra bater perna com calma e pra comer. É cheia de lojinhas e restaurantes de rede americanos (tipo Bubba Gump, Cheesecake Factory, Hard Rock) e barzinhos animados. Jantamos e voltamos pro hotel.

maitai

maitai

Dia 02

Ainda meio zonzos com o horário, acordamos cedo, pegamos o carro e fomos até o Diamond Head. Uma cratera de um vulcão extinto acessada por um parque, onde há uma trilha e alguns lances de escadas e de onde se tem uma das melhores vistas da cidade.

DSC04506

dsc04509

dsc04522

É super perto da praia de Waikiki, aliás, da praia é possível avistá-lo. Vale a pena visitar.

Em seguida andamos mais uns 20 minutos de carro e chegamos na Hanauma Bay.

Hanauma Bay é uma baía que fica em uma área de preservação marinha de origem vulcânica. Um ponto obrigatório para quem gosta de snorkling e uma das praias mais lindas de Oahu.

Como é uma reserva, é necessário pagar uma taxa de entrada e também é obrigatório assistir um videozinho sobre a preservação da região antes de acessá-la. Lá é possível alugar o equipamento de snorkeling (é possível alugar tbm na cidade e levar). Depois disso, é possível aproveitar a água e a praia o tempo que quiser.

dsc04438

dsc04450

Dependendo do tempo que se decidir ficar em Hanauma Bay, dá pra visitar alguns outros pontos mais pra cima, tipo Sandy Beach e um Parque Aquatico que vi apenas os anúncios.

Nós optamos por ficar por lá em Hanauma Bay mesmo. Só saímos quase no fim da tarde e voltamos, passando direto por Waikiki até a praia de Ala Moana, outra praia urbana, com bastante infraestrutura. De lá saem vários barcos para ver o por-do-sol de dentro da agua.

No dia, fiquei super triste de não ter conseguido chegar a tempo para embarcar, aí fomos para a praia mesmo e surpresa! O por-do-sol na praia é imperdível…fiquei lá pensando que poderia estar num barco cheio de turistas amontoados tirando foto e fiquei feliz por ter perdido o horário e estar lá sentada na areia vendo aquele espetáculo com calma do começo ao fim. Bom, não posso falar da experiência do barco, mas a da praia definitivamente vale a pena!

DSC04479

lindo por-do-sol em Ala Moana

dsc04473

Como tinha esquecido minha nécessaire (SÓ isso…rsrsrsrs) aproveitei pra passar no Ala Moana Shopping Mall pra comprar umas coisinhas. Se não TIVER que comprar algo não recomendo, porque é um shopping igual a qualquer outro no mundo. Jantamos por lá e voltamos pro hotel pois o dia seguinte seria o mais pesado

Dia 03

Dia de visitar o famoso North Shore, região das famosas praias amadas pelos surfistas do mundo todo.

Da para ir pra lá pelos dois lados da ilha. Escolhemos ir pelo oeste porque seria mais rápido, pois é possível cruzar a ilha pelo centro para chegar no norte. Achar o caminho é super tranquilo, mesmo se estiver sem GPS, é só perguntar no hotel que eles dão um mapa, inclusive com indicações dos principais pontos de parada.

Para atravessar a ilha pelo meio demora mais ou menos 1 hora pela estrada H2. Dá para ir também pela costa, aproveitando as paisagens e voltar pelo meio, fazendo o caminho inverso ao que fizemos. Como a volta fizemos pela costa e deu para passar por praias que valeriam uma paradinha durante o dia, como Lanikai e Kailua.

Nossa primeira parada foi Hale’iwa, uma cidadezinha que respira surfe e tem inclusive a primeira loja de surfe do Havaí, a Surf & Sea. Vale a pena passar pelo centrinho e seguir em frente.

Pegamos a Kamehameha Highway que é a rodovia que dá acesso a todas as praias do norte.

A primeira delas, que vale a pena uma parada é a Turtle Beach ou Laniakea Beach, onde, como diz o nome, é possível avistar tartarugas marinhas de pertinho. Há voluntários que cuidam da preservação dos animais.

A partir daí começam as praias mais famosas. Começando por Waimea Beach. Na época que fomos era inverno, época das grandes ondas, então as praias estavam lotadas de surfistas. Para os nem um pouco surfistas (como nós!), resta deitar na praia pra pegar um sol e assistir, pois o mar é muito agitado para um mergulho. No verão, dá pra entrar na agua e fazer snorkelling.

A praia de Waimea é a que conta com a melhor infraestrutura, com duchas, aluguel de cadeiras e banheiros.

waimea

A parada seguinte foi Shark’s Cove, um lugar com aguas super azuis e que convida pra um mergulho, mas assim como em Waimea, apenas no verão. Quando fomos o mar estava ótimo…para os surfistas..rsrsrs

Mai a frente está a meca dos surfistas: Pipeline (na verdade o nome da praia é Banzai Pipeline), conhecida pelas enormes ondas tubulares e famosa por ser uma das praias mais perigosas para a prática do esporte, já que a agua fica sob uma barreira de corais.

Mesmo com a fama, a praia, que é palco de uma das etapas do campeonato mundial, é cheia de surfistas, a maioria profissionais. Na areia, vários fotógrafos e equipes de apoio.

Nós resolvemos parar mesmo pra ficar mais tempo na praia Sunset Beach, que tem uma faixa de areia extensa, boa pra pegar um solzinho.

dsc04454

De volta a estrada, antes de chegar na Turtle Bay, aproximando-se de Kahuku avista-se vários trailers de comidinhas (tipo food trucks). Kahuku é uma área de produção de camarão então os “pratos” são fresquinhos…vale a pena uma paradinha. O trailer mais famoso é o Giovanni’s.

shrimp-truck

Logo em seguida, é possível visitar o Polynesian Cultural Center, um parque temático que conta a história da cultura polinésia. Nós passamos direto, pois estávamos cansados já.

No dia seguinte, curtimos mais um pouco a praia e fomos para Maui.

Advertisements

One thought on “OAHU

  1. Pingback: Havaí | Diários de Férias

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s