Dubai: Dicas Práticas e o Que Conhecer

A região de Dubai sempre foi uma importante área comercial mas, até 1930/1940, a maioria das residências eram em forma de tendas beduínas. Em 1950, a cidade começou a ter mais construções, década em que também recebeu energia elétrica. Mas, apenas após a descoberta do petróleo, em 1966,  a cidade viu sua população crescer mais de 300%.

A evolução relativamente tardia foi substituída pelo desenvolvimento rápido. Hoje em dia, Dubai é uma cidade de superlativos, moderna e globalizada, embora a população ainda conserve hábitos tradicionais muçulmanos.

As mulheres, por exemplo, devem observar o hijab (no islã, vestuário que permite privacidade). Há várias formas de hijab, como a burca, a abaya e o xador. Embora aqui no Brasil nós tenhamos o costume de chamar de burca toda e qualquer vestimenta preta usada pelas mulheres árabes, o termo refere-se ao pano que cobre o corpo todo, até os olhos e o rosto. Nos Emirados Árabes, a burca não é obrigatória e a maioria das mulheres usa abaya, uma veste preta que deixa à mostra o rosto, as mãos e os pés. Vimos pouquíssimas mulheres usando burcas.

IMG_2344 (800x533)

Eu sendo vestida como uma Abaya em Abu Dhabi

IMG_2811 (533x800)

Detalhe para a máquina de sacar ouro! Gold to go.

O turismo na cidade vem crescendo rapidamente, principalmente pelo aeroporto de Dubai ter se consolidado como um importante hub para vôos que levam a diversos países do Oriente Médio e da Ásia. É uma ótima opção para casar com alguma viagem para aqueles lados.

Voo. A Emirates oferece voos diretos SP-Dubai. Nós já usamos várias vezes e a qualidade é muito boa. Outra opção é a Etihad, que faz voos diretos para Abu Dhabi.

Visto. Brasileiros precisam de visto para Dubai. Se o destino for uma conexão para outro país e sua visita for durar até 96 horas, o visto de trânsito pode ser solicitado no próprio aeroporto. Você só precisa de uma passagem de saída e do comprovante de reserva do seu hotel. Se estiver no Terminal 1 (outras cias aéreas), o visto é tirado na Arabian Adventures. Se estiver no Terminal 3 (da Emirates), há um balcão próprio para “Hotel & Visas for Dubai”.

Se for ficar mais de 96 horas, precisará tirar o visto de turismo. Se for chegar a Dubai com a Emirates, o visto pode ser solicitado online junto à cia aéra. Mais informações aqui.

Hospedagem. Em Dubai, há algumas regiões para hospedagem, a depender do seu objetivo. Se quiser relaxar nas praias, as melhores opções são Jumeirah ou a ilha The Palms.

Eu prefiro Jumeirah, pois fica mais perto dos shoppings e dos demais pontos turísticos. São vários hotéis na região, sendo  o mais famoso deles – e símbolo de Dubai – o Burj El Arab. Do mesmo grupo (Jumeirah), ainda há o Jumeirah Beach Hotel e o complexo de hotéis Madinat.

DSC01019 (800x451) DSC01028 (800x451)

Já me hospedei em 2011 no Madinat, que adorei! O lugar é um complexo de 2 hotéis (Mina A’Salam e Al Qsar), além de casas e vilas (Dar Al Masyaf e Malakiya Villa), todo interligado por um lago artificial, com arquitetura árabe e vizinho do Burj Al Arab. Vou falar mais para frente dele, pois acho que vale a pena conhecer mesmo se não for se hospedar por lá.

IMG_2024 (800x533) IMG_2019 (800x533)

A praia na frente é privada para hospedes. O café da manhã (delicioso) do Mina A’Salam era na beira do lago, com vista para a praia.

IMG_2047 (800x533)

Praia com serviço excelente

DSC01100 (800x451)

Vista do café da manhã

A ilha The Palms é um pouco mais afastada, mas também cheia de opções de hotéis. O mais famoso é o Atlantis, que também tem um parque aquático e uma série de atividades ligadas à água.

Se não ligar de ficar em completo isolamento e quiser uma experiência diferente, Dubai também tem hotéis no meio do deserto. Da segunda vez que fui à cidade, pegamos uma diária em um deles para ter a experiência. Achei legal, mas mais um dia ali teria me deixado bem entediada. Fiquei no Banyan Tree Al Wadi. Cada quarto é uma vila separada, com arquitetura e decoração bem típicas árabe. Todos têm sua própria piscina. O hotel oferece diversas atividades (quase todas pagas à parte), como passeios a camelo, safáris nas dunas, etc.

Dubai (45) (800x534) Dubai (34) (800x600)

Dubai (4) (800x600)

Outro no mesmo esquema é o Al Maha.

Se sua opção for compras, o melhor é ficar na região do Dubai Mall, onde também há um “parque” com um lago artificial e vários restaurantes. É ali que está o Burj Khalifa, prédio mais alto do mundo. Em um dos seus andares, fica o Armani Hotel.

*Obs Débora: para quem quiser uma opção bem mais econômica: eu fiquei hospedada no Ibis Al Rigga, em Deira. O bairro nao tem nada de luxuoso, pelo contrário: é bem popular, mas é cheio de restaurantes e fast foods abertos até de madrugada. Além do bom custo benefício, o hotel fica bem perto do metrô – e a apenas três estações do aeroporto.  

Roupas. Eu acabei usando sempre calça e camisetas que cobriam o ombro. Se for entrar em qualquer mesquita, os ombros e joelhos devem estar cobertos – para homens e mulheres. Em lugares mais tradicionais, também é de bom tom cobri-los. No hotel é tranquilo, pode usar as roupas que quiser, inclusive biquíni na praia particular. Se for para a praia pública, não é muito aconselhável usar roupas de banho. Nos shoppings, também tive a impressão de ser mais tranquilo, vi muitas estrangeiras de shorts, mas o ar-condicionado é tão forte que não será problema usar calça e você vai se arrepender se não levar uma blusinha rs!

Locomoção. Em Dubai, é complicado andar à pé. As distâncias são longas e o calor é muito intenso. Nós fizemos tudo de táxi. A a cidade tem metrô, mas não posso dar dicas porque não usamos.

* Obs Débora: como meu hotel era bem perto do metrô, fui e voltei do aeroporto por meio dele. Também voltei do Dubai Mall de metrô, já que há a Estação Burj Khalifa sai praticamente de dentro do shopping. Apenas não o usei mais (apesar de ter estações em quase todos os principais pontos turísticos), porque optei por utilizar aqueles ônibus turístico “hop on hop off” para conhecer a cidade no único dia inteiro que passei por lá.

O que conhecer. Para dar uma noção de localização, segue um mapinha amador construído sobre o gmaps.

Mapa

Clique para aumentar

Burj Khalifa. O Burj Khalifa é o prédio mais alto do mundo, com 828 metros. No site, há uma comparação com outros prédios famosos. Há um deck de observação no topo e vale muito a pena subir. É uma altura tão grande que parece que a cidade lá embaixo é uma maquete! Para chegar é bem rapidinho, o elevador sobe a 10 metros por segundo. Pode haver filas na bilheteria, então sugiro comprar seu ticket online (aqui).

* é melhor comprar o ticket pela internet não apenas em razão das filas, mas para economizar mais de 50 doláres! O horário do pôr do sol (por volta das 17h) é o mais concorrido.

Dubai (64) (600x800) DSC01206 (451x800)

DSC01221 (800x451)

Vista de cima do deck

No andar 122 (o deck de observação é no 124), há um restaurante, o Atmosphere. Se quiser jantar, vale a pena reservar. Da segunda vez que fomos a Dubai, tentamos ir sem reserva e não conseguimos.

Na frente do prédio, fica um lago artificial super grande. À noite, de hora em hora, acontece um show de águas de deixar o Bellagio de Las Vegas no chinelo. Você não vai se arrepender de ter ficado para assistir, mas pegar um lugar na beirinha do lago pode ser concorrido.

DSC01214 (800x451)

Dubai Mall. O shopping é gigantesco, prepare as pernas! Para ter uma ideia, há lojas de departamento inteiras lá dentro, incluindo uma Galeria Lafayette e uma Bloomingdales. Você encontrará lojas de várias nacionalidades, de fast fashion a alta costura.

IMG_2839 (800x533)  IMG_2744 (800x533)

Além disso, o shopping tem muitas opções para comer, várias filiais de restaurantes famosos ao redor do mundo, como Magnolia Bakery, Entrecote Paris, Cheescake Factory, Eataly, Petrossian e por aí vai.

IMG_2819 (800x533)

Red Velvet na Magnolia

No Dubai Mall, ainda há uma pista de patinação no gelo e o Dubai Aquaruim, que pode ser visto de fora. Se quiser, você ainda pode comprar um ticket para passar por dentro do túnel que construíram no meio dele. Também é possível mergulhar no aquário, com ou sem cilindro. As atividades estão aqui.

IMG_2752 (800x533)

** O Burj Kalifa e o Dubai Mall são vizinhos. No mesmo dia, dá para conhecer o prédio, o shopping e aproveitar para ficar por lá à noite, para ver o show de águas.  

Mall of the Emirates. O Mall of the Emirates é outro shopping enorme. Embora não tenha tantas lojas e restaurantes bacanas como o Dubai Mall, ele oferece uma pista de ski indoor. Vou falar que fui só pela curiosidade de conferir, mas ela é pequena, não tem tanta graça assim.

IMG_2511 (800x533) IMG_2435 (800x533)

The Palms. A maioria das atrações turísticas da ilha ficam por conta das atividades aquáticas do hotel Atlantis. É possível nadar com golfinhos e focas, mergulhar, curtir um parque aquático, etc. Mais informações estão aqui.

IMG_2718 (800x533)

Atlantis

Al Fahidi District.  Na região, foram preservadas diversas casas de arquitetura árabe, com seus pátios internos e suas torres de vento, principalmente em Al Bastakia. Hoje em dia, essas casas são museus e lojas.

IMG_2664 (800x533)

Ali fica também o Dubai Museum, construído em um antigo forte. O museu não tem muita coisa, são cenários e esculturas mostrando como era vida da população.

DSC01119 (800x451) DSC01123 (800x451)

Old Deira. Da região de Al Fahidi, é possível pegar um Abra ou Down (barcos tradicionais árabes), para atravessar a Dubai Creek. No outro lado, está a região de Deira.

IMG_2657 (800x533)

Embarcação típica

Andando por perto da água, há mais construções típicas.

IMG_2696 (800x533) IMG_2700 (800x533)

Também em Deira, estão o Mercado de Especiarias e o Mercado do Ouro. O mercado do ouro é formado por diversas lojas de jóias, uma ao lado da outra, em uma espécie de calçadão coberto. O tamanho das jóias expostas impressiona bastante!

DSC01108 (800x451) DSC01109 (800x451)

 IMG_2631 (800x533)

O mercado de especiarias é cheio de barraquinhas abertas, também cobertas com um teto comum.

IMG_2640 (800x533)

*Em toda essa parte “histórica”, eu esperava uma coisa super autentica árabe, mas me decepcionei um pouco, achei tudo meio turístico. 

Como Al Fahidi District e Deira são perto um do outro, vale a pena juntá-los em um só dia. Se não quiser fazer sozinho, o Sheikh Mohammed Centre for Cultural Understanding (SMCCU) oferece diversos passeios guiados pelos distritos históricos e mercados. Alguns tours incluem também refeições culturais, onde são servidas comidas árabes e os guias explicam diversos aspectos da cultura e da religião. Aliás, esse é o intuito do centro, divulgar a cultura e os costumes da população local, com o lema “Open doors. Open minds“. Se tivesse tido mais tempo, teria dado uma passada para conferir, li que eles abordam aspectos interessantes.

Burj Al Arab. Se você não está hospedado no Burj Al Arab, mas quer conhecer o hotel que virou o símbolo da cidade, a única forma é reservando um almoço ou jantar em um dos seus restaurantes. O hotel só permite a entrada de hóspedes e pessoas com reserva.

IMG_2587 (800x533)  IMG_2598 (800x533)

Nós fomos ao Al Mahara. Para chegar no famoso restaurante, você pega um elevador que simula um submarino, como se estivesse descendo para o fundo do mar. Chegando lá, o aquário do chão ao teto que ocupa quase o restaurante todo garante a continuidade da experiência. Não é barato, mas o ambiente é bem legal e a comida estava excelente. A única chatice é que eles exigiam paletó para homens.

IMG_2562 (800x533) IMG_2548 (800x533)

Se não quiser gastar, outra opção é o Skyview Bar, que fica no topo do hotel e, pelas fotos do site, pareceu ter vistas bem bonitas.

Complexo Madinat. Se não tiver hospedado em algum dos hotéis do complexo Madinat Jumeirah, vale a pena dar uma passadinha lá para conhecer. Como eu disse na hospedagem, todos os prédios foram construídos em arquitetura típica árabe e são interligados por um lago. Para se locomover no complexo, há barquinhos típicos de Dubai (abras), que fazem o transporte pela água. Além de muitos restaurantes, o lugar tem uma imitação de um mercado típico, com algumas lojas.

img_2035-800x533 IMG_2069 (800x533)

Desert Safari. É um dos passeio mais populares em Dubai. Fizemos com a Arabian Adventures, empresa de turismo do próprio Sheik. Apesar de chamar safári, a atividade mais se aproxima de um rali. São carros 4×4 que te buscam no seu hotel e fazem um passeio pelas dunas, que fica bem emocionante em algumas horas. No final do dia, os carros param para ver o pôr-do-sol.

img_2117-800x533 img_2095-800x533_edited

img_2148-800x533_edited img_2102-800x533_edited

Se quiser, dá para incluir um jantar num acampamento beduíno. Nós fizemos e, apesar de ser super turistão, eu gostei! O acampamento é montado no meio do deserto, com tendas e tapetes. De lá, é possível dar uma volta de camelo. Há café árabe, narguiles e é servido um jantar, com uma comida bem gostosa. Para as mulheres, há uma tenda onde é possível fazer aquele desenho típico de hena nas mãos. Após o jantar, há uma apresentação de dança do ventre. O passeio começa umas três da tarde e volta para o hotel já à noite.

IMG_2203 (800x533)  IMG_2248 (800x533)

Há outra opção que sai de manhã. Aqui.

Passeio de Balão. Quando fomos, em 2011, essa atividade não era feita em Dubai. Se eu voltar para lá um dia, está no topo das minhas pendências! A empresa que faz o passeio é a Balloon Adventures e no site tem mais informações.

Balloon

Foto de divulgação tirada do site

Pular de Paraquedas. Outra atração relativamente nova da cidade. O salto acontece em cima da ilha The Palms e maiores informações você encontra aqui. Se você é corajoso, o Skydive é o maior centro de paraquedismo do mundo. Dizem (e as fotos confirmam) que a paisagem lá de cima é bem legal. Dá para ver a ilha artificial que foi construída para imitar o mapa mundi (que só toma forma vista do céu).

Skydive

Foto de divulgação tirada do site

Outro passeio bem comum para quem está em Dubai é passar o dia em Abu Dhabi. Tem post exclusivo aqui.

Quando fui para Dubai, não achei que fosse gostar tanto. Não sou muito ligada a construções modernas. Mas a cidade me surpreendeu positivamente, eu me diverti pra caramba. Meus amigos que conheceram também voltaram só elogios. Não importa quantas vezes você for, a cidade em constante expansão sempre irá te surpreender!

Advertisements

5 thoughts on “Dubai: Dicas Práticas e o Que Conhecer

  1. Pingback: Um Dia em Abu Dhabi | Diários de Férias

  2. Pingback: O Que Vem Por Aí … | Diários de Férias

  3. Olá, quantos dias são razoáveis reservar para visitar Dubai? 5 dias? 10 dias? Mais? Menos?
    Para sair de lá com a sensação de que a visita valeu a pena.

    • Olá, Cláudio! Quantos dias dedicar a cada lugar depende muito do ritmo de viagem de cada pessoa. Acredito que entre 3 e 4 dias seriam suficientes para cobrir as principais atrações. 10 dias me parece muito, a não ser que tenha interesses bem específicos na cidade!

  4. Pingback: Aproveitando a Conexão em Doha | Diários de Férias

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s