A Muralha da China e as Ming Tombs

A MURALHA DA CHINA

Parte Restaurada ou Original

A Grande Muralha da China tem milhares de quilômetros, mas a grande maioria está desintegrada. Apenas alguns trechos foram restaurados.

Fiquei super na dúvida do que visitar. Visitando as partes restauradas, você se sente realmente visitando a Muralha, vendo toda a sua arquitetura, torres, etc. Mas, na verdade, aquilo é uma restauração, não a muralha original. Quando vimos a continuação não restaurada do local que estávamos conhecendo, deu pra perceber que, na verdade, as partes “restauradas” foram construídas de novo.

Visitando os trechos não restaurados, o ponto positivo é você anda nos restos do que foi a muralha original, mas o negativo é que, muitas vezes, é só um caminho de pedra.

Difícil escolher! Se voltasse no tempo, teria escolhido visitar tanto uma parte restaurada, como uma original. Algumas empresas de trekking organizam caminhadas que partem dos trechos originais e vão até os restaurados. Deve ser cansativo pra caramba, mas muito recompensador.

Pra vocês entenderem o que estou falando, segue uma foto do trecho original e outra do trecho restaurado.

Beijing (2) (800x600) Beijing (258) (800x534)

Se você não tiver tempo de fazer as duas, escolha sem medo a parte restaurada. Ir só na parte original pode decepcionar …

Que Trecho Visitar

O trecho mais popular da muralha é Badaling, que fica 70Km a norte de Pequim. Há bondinho para subir, barras de proteção e outros recursos para os turistas. O problema é que é muito cheia e lotada de grupos de excursão. Se decidir visitar essa parte da muralha, tente chegar bem cedo ou ande o máximo possível para longe dos grupos grandes. Dá pra chegar a Badaling de trem de Pequim, a Drieverywhere deu o passo-a-passo aqui.

Um trecho mais afastado e bem mais vazio é Mutianyu, a 90Km de Pequim. Também está restaurada e há um bondinho para subir. É a escolha da maioria das pessoas que procura uma parte mais tranquila pra visitação.

A parte de Huanghua Cheng é uma alternativa pra quem quer ver a muralha original, porque ainda está em ruínas, só que com grandes partes não destruídas. Só se informe antes de bater o martelo, porque o acesso às partes em ruínas está sendo limitado pelo governo, pelos riscos de desmoronamento. Também, já se iniciou o processo de restauração desse trecho, então verifique se ainda está aberto. Fica a 60Km de Pequim.

Por fim, outra parte famosa é a de Simatai, com alguns pontos reconstruídos e outros originais. Dá pra subir de bondinho.

Qual Escolhi?

Nós não fomos em nenhuma dessas partes rsrs. Visitamos o trecho de Juyongguan Pass e gostei muito!

O trecho é mais visitado que Mutianyu, por exemplo, mas muito menos visitado que Badaling.

Apesar de não ter nenhum teleférico ou bondinho pra subir (é na perna mesmo), a muralha estava bem restaurada, com várias torres e o melhor de tudo: VAZIA. Nós chegamos cedo e ela inteira estava, literalmente, só pra gente. Mesmo na hora de ir embora cruzamos com poucas pessoas.

Beijing (341) (534x800)

Não dá pra descrever a emoção de pisar lá! Gente, é a Muralha da China e eu estou aqui!

Beijing (244) (800x534) Beijing (317) (800x534)

Essa parte da muralha é dividida em duas seções, cortadas pela estrada no meio. Nós chegamos e subimos para a esquerda, caminhando até o final e tirando mil fotos. Passamos muito tempo lá, aproveitando cada segundo.

 Beijing (296) (800x600)

Apesar de cansados, ainda arrumamos um fôlego pra subir pra parte da direita, só não tivemos pique pra caminhar até o final de novo, porque percebemos que não seria muito diferente do que já tínhamos aproveitado.

Beijing (354) (800x534)

Beijing (359) (800x534)

Saindo de lá, paramos pra almoçar – dessa vez num restaurante de comida chinesa delícia – e fomos em direção às Ming Tombs.

MING TOMBS

Os passeios para a Muralha da China geralmente são combinados com as Ming Tombs, aproveitando que você já estará fora de Pequim. É outra atração bem conhecida da China mas, na minha opinião, não é imperdível ..

O lugar é um complexo de mausoléus funerários de imperadores da Dinastia Ming e foi escolhido pelos princípios do Feng Shui, porque as montanhas ao norte protegeria as tumbas dos maus espíritos trazidos pelos ventos daquela direção. Um caminho de 7km (Caminho dos Espíritos), ladeado de figuras de animais e seres mitológicos, leva até o complexo.

Beijing (372) (800x534)

Nós visitamos só o Túmulo Chang Ling, mas todos contam com a mesma estrutura: o portão de entrada, o Hall do Favor Eminente e a Torre dos Espíritos, que é a entrada das câmaras mortuárias.

Beijing (381) (800x534) Beijing (382) (800x534)

Beijing (392) (800x600)

Se fizer questão de conhecer uma câmara mortuária, a de Ding Ling é a única que foi escavada e aberta ao público.

De lá, voltamos para Pequim e o resto do dia você pode conferir no post sobre a cidade.

Advertisements

2 thoughts on “A Muralha da China e as Ming Tombs

  1. Pingback: Xian | Diários de Férias

  2. Pingback: Pequim | Diários de Férias

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s