Manaus

Manaus é a porta de entrada para a Floresta Amazônica e o principal centro econômico da Região Norte, com cerca de 2 milhões de habitantes. A cidade viu seu pleno desenvolvimento durante o Ciclo da Borracha (Sec XIX). A exportação da borracha atraía investidores de todo o mundo e a cidade se desenvolveu muito, sendo a primeira capital brasileira a receber eletricidade. Devido a sua beleza, chegou a ser chamada de “Paris dos Trópicos”.

Posteriormente, a semente da seringueira foi exportada para a Malásia e passou a ser produzida em larga escala por lá, levando à retirada dos investidores estrangeiros de Manaus e seu declínio.

ONDE FICAR

Escolhemos o hotel pela localização. Queríamos algo bem perto do centro, local onde fica o Teatro Amazonas. Escolhemos então um chamado Saint Paul.

O hotel era ok, nem bom, nem ruim mas, sem dúvida, muito bem localizado. Chegamos lá de táxi do aeroporto, deixamos as malas e fomos direto andar pelo centro.

Obs.: caso você pretenda fazer os passeios da Floresta Amazônica a partir de Manaus (veja posts aqui e aqui), vale a pena pesquisar o Hotel Tropical ou hotéis ali por perto, pois é daquele porto que partem os passeios.

O QUE FAZER

Passamos apenas um dia por lá por conta do tempo curto, mas consegui fazer tudo o que queria!

Se eu tivesse mais tempo, teria dado uma passeada no bairro de Ponta Negra. É o mais “nobre” da cidade e tem uma praia fluvial com direito a calçadão, bares e restaurantes mais movimentados. Passamos por lá de carro antes de ir pro “meio do mato”, achei bem bonitinho…

DSC_8453 (800x534)

Nossa estada em Manaus se resumiu ao centro. Queria conhecer duas coisas: o Teatro Amazonas e o Mercado Municipal, mas demos azar e o mercado estava fechado para reforma…fomos, então, em direção ao Teatro!

O centro histórico é pequeno, algumas edificações históricas em estilo europeu ganham destaque com a cor salmão, super em voga na época áurea da cidade – durante o ciclo da borracha no século XIX. No centro também se encontram as agências que oferecem passeios para quem vai ficar hospedado em Manaus e quer passar o dia na floresta.

A pracinha do centro é cheia de casarões históricos e em alguns deles há, inclusive, programação cultural gratuita.

DSC_7917 (800x534)

Além disso, há lanchonetes com mesinhas do lado de fora e vista para o monumento da cidade: o Teatro Amazonas.

DSC_7949 (800x534)

DSC_7925 (534x800)

O Teatro foi construído em 1881, justamente na época mais próspera do ciclo da borracha. A fachada é rosada e no topo há uma cúpula feita com 36 mil escamas de cerâmica nas cores da bandeira do Brasil.

Vale a pena dar a volta no prédio, tirar fotos de todos os ângulos possíveis e depois entrar para a visita guiada, que ocorre várias vezes ao dia e tem duração de 30 minutos (na espera da visita vale tomar algo no café do museu ou um sorvete na pracinha da frente). Na visita guiada é possível conhecer o salão nobre, utilizado pelos senhores da borracha à época, e o camarim, com alguns objetos antigos.

DSC_7934 (800x534)

Salão Nobre

DSC_7937 (800x534)

O teatro está super bem conservado e é aberto para espetáculos. Acho que seria uma experiência incrível assistir a alguma apresentação lá, mas no dia em que eu fui não havia nada programado. Vale a pena checar no site a programação e confirmar também o horário de abertura para visitação.

Obs Maíra:

Ao lado do teatro está o famoso restaurante Tambaqui de Banda, que serve uma costela de tambaqui na brasa excepcional! Vale a pena a parada caso esteja no horário do almoço. 

Outro restaurante na região que não se destaca tanto pela comida, mas pelo visual, é o restaurante giratório do hotel Taj Mahal. De lá é possível ver o Teatro Amazonas de cima, a Ponte do Rio Negro, além da visão panorâmica da cidade.

DSC_7945 (800x534)

Teatro Amazonas visto do restaurante giratório, com a Ponte do Rio Negro ao fundo

Eu também fui conhecer o Mercado Municipal, conhecido por sua estrutura de ferro. Embora a estrutura seja realmente lindíssima, confesso que esperava mais do conteúdo do mercado. Tinha em mente ver mais frutos típico da região, bastante artesanato, remédios amazonenses etc. Vi muito pouco, mas não sei dei azar do dia.

DSC_7963 (800x534)

Mercado Municipal

DSC_7956 (800x534)

DSC_7959 (800x534)

Além dos passeios na cidade em si, de lá também partem diversos passeios para a Floresta Amazônica, que descrevemos melhor nesse post.

Por esses passeios, é possível observar de perto a Ponte do Rio Negro, um dos cartões postais da cidade, além de uma peculiaridade de Manaus: os muitos postos de gasolina flutuantes para navios.

DSC_8470 (800x534)

DSC_8449 (800x534)

Advertisements

2 thoughts on “Manaus

  1. Pingback: A Floresta Amazônica – Informações Práticas e Passeios | Diários de Férias

  2. Pingback: Amazônia – Como Programar a Viagem, Onde Ficar | Diários de Férias

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s