Sossusvlei – Algumas das Maiores Dunas do Mundo e Muito Mais

Como disse nesse post aqui, foi Sossusvlei que despertou meu interesse pela Namíbia.

Foi bem difícil conseguir juntar informações e ganhar confiança para montar a viagem sozinha, sem ter que recorrer a agências. Demorou para eu descobrir, inclusive, que, embora o nome da área de conservação onde ficam as dunas seja Sossusvlei, a área mais famosa, mais fotogênica e a que todo mundo quer visitar chama-se Deadvlei. É lá que está o lago seco, com as árvores petrificadas, rodeados por dunas alaranjadas.

IMG_8991 (Small)

Deadvlei

“Sossus vlei” significa algo como vale onde a água se acumula. Antigamente, por ali passava o enorme Rio Tsauchab (que hoje ainda existe, pequeno e quase seco). Ao longo dos anos, o rio foi trazendo areia e sedimentos até a costa da Namíbia. Continue reading

Sandwich Harbour – Um Pedacinho da Costa dos Esqueletos

A Costa dos Esqueletos da Namíbia é uma das regiões que ficaram conhecidas no período das grandes navegações, como uma das partes de mar mais difíceis de serem navegadas. A região é formada por dunas gigantescas que acabam no mar.

IMG_4626

Acontece que, nessa região, as dunas são espécies de icebergs. O que vemos na costa é a apenas a pontinha, já que as dunas se prolongam embaixo da água. Com a maré, essa parte submersa vai se movimentando, deixando praticamente impossível de saber a profundidade segura para navegação. Como resultado, muitos e muitos navios encalharam por lá. Continue reading

Windhoek – O Que Fazer Na Capital

Talvez comparada a outras capitais do mundo ou até mesmo com os parques de conservação da Namíbia, a capital Windhoek não tenha muito a oferecer turisticamente. Mas a cidade é uma gracinha, super limpa e organizada, e foi uma ótima surpresa no nosso roteiro.

Nós passamos só uma tarde e duas noites por lá, pois ela foi nossa porta de entrada e saída do país. As principais atrações turísticas da cidade estão uma ao lado da outra e é possível conhecê-las mesmo com o tempo curto.

IMG_4103

Nós começamos nosso tour pela Christuskirche, uma igreja fundada na época da colonização alemã e que parece saída de algum conto infantil. Continue reading

Turismo na Namíbia

Desde que eu vi uma foto de umas dunas perfeitas alaranjadas, com árvores secas e retorcidas e um céu azul atrás, a Namíbia entrou na minha bucketlist de viagens. Eu fiquei alucinada, morrendo de vontade de conhecer, mas a falta de informações na internet adiou meus planos por algum tempo.

IMG_8991 (Small)

Deadvlei

Grandes áreas da Namíbia são constituídas de parques de conservação. O maior deles é o Naukluft, que tem quase o tamanho da Suíça inteira. É ali dentro do Naukluft que está a área de Sossusvlei, onde ficam as dunas da foto aí em cima. Continue reading

Zanzibar

A ilha que é conhecida turisticamente como Zanzibar, é, na verdade, um arquipélago formado pelas ilhas de Pemba e Unguja. É nessa última que está toda a estrutura hoteleira e para onde vão os ferrys e os voos para o que chamamos Zanzibar.

A ilha ficou conhecida pelas praias paradisíacas formadas pelo Oceano Índico, com um mar azul-turquesa e areias brancas. Mas, além das praias, a ilha também tem muita história para contar.

IMG_4018

Apesar de Nungwi ser a praia mais famosa e da grande maioria das dicas turísticas recomendarem a hospedagem por lá, a verdade é que as praias bonitas de Zanzibar estão espalhadas pela ilha e os deslocamentos não são rápidos. Continue reading

Safáris no Massai Mara

O Quênia é considerado um dos melhores países do mundo para fazer safáris e, dentro dos seus vários parques, o Massai Mara é tido como a melhor escolha. O parque fica no sul do país, na divisa com a Tanzânia, mais especificamente com outro parque bem conhecido para a atividade, o Serengueti.

Quando ir

O que tornou ambos os parques tão famosos foi a imensa migração de gnus que ocorre entre julho e setembro – e essa é considerada alta temporada para visitar o parque.

IMG_3658

A divisa entre o Quênia e a Tanzânia quase coincide com a linha do equador. O primeiro fica no hemisfério norte, o segundo, no hemisfério sul. Por estarem em hemisférios opostos, o verão (época das chuvas) e o inverno (época das secas) acontecem Continue reading

Giraffe Manor – Café Com as Girafas Rothschild

Talvez você já tenha visto alguma foto de pessoas tomando tranquilamente seu café da manhã enquanto algumas girafas colocam a cabeça para dentro das janelas. Talvez você tenha pensado que era algum tipo de montagem, como eu pensei da primeira vez. Talvez, depois de descobrir que o lugar não só é real, como é um hotel, você coloque na sua listinha de desejos, como eu tinha feito …  até o começo desse ano.

IMG_7300

O Giraffe Manor é um hotel situado em Nairóbi, no Quênia, numa antiga propriedade de 1932, um pouco afastada da cidade e localizada numa área verde.

Só do hotel funcionar numa propriedade tão antiga e linda, com jardins e parques ao redor, já seria maravilhoso ficar hospedado por lá. Mas o melhor é a interação com as girafas, que têm lar permanente no lugar.

6174661536_img_7330

Na porta de entrada do hotel

O Giraffe Manor, junto com o centro a que é coligado, serve de casa para várias girafas Rothschild, subespécie atualmente em perigo de extinção. Continue reading

Aproveitando a Conexão em Doha

Com os vôos da Qatar Airways ligando o Brasil a diversos países da Ásia e fazendo conexões em Doha, muita gente aproveita para passar pelo menos um diazinho na cidade e ver o que há de bom por lá.

Eu cheguei em Doha por volta de meio dia. Fiz imigração, fui para o hotel com calma deixar as malas e por volta das 16:00 saí para ir conhecer o MIA – Museum of Islamic Arts, a atração turística mais famosa de Doha.

img_5727

MIA

O MIA fica no final da Corniche, a avenida a beira mar da cidade. No final da tarde o calor dá uma trégua e ela fica cheia de gente, principalmente nas sextas e nos sábados. Vale a pena dar uma caminhada por ela antes de entrar no museu. Continue reading

Passeio de Barco em Arraial do Cabo

Aproveitando nossa estadia em Búzios, fomos para Arraial do Cabo. Eu sempre via fotos do mar de lá e ficava impressionada com a beleza, mas a má fama da muvuca das praias sempre me fez deixar a vontade de conhecer pra depois.

Como estaríamos tão pertinho, dessa vez não deixei passar e fui atrás de pesquisar a melhor forma de conhecer a região. Não precisou de muito para decidir que o melhor seria fazer um passeio de barco, por várias razões. Primeiro porque a faixa das praias em si não é o mais bonito do lugar, mas sim o mar. Segundo porque a areia é meio superlotada, principalmente em janeiro, quando iríamos. Terceiro porque, com um passeio de barco, poderíamos passar por vários lugares em uma só tarde, inclusive a Praia do Farol, que não dá pra chegar de carro.

image1

A dúvida agora era: privativo ou regular? Já falei muitas vezes aqui o quanto prefiro sempre optar por passeios Continue reading

Búzios em poucos dias

Nesse começo de ano fui pra Búzios passar 3 dias. Embora seja o mês mais cheio e muvucado, se você tiver disposição para chegar às praias mais cedo e driblar a lotação, janeiro pode significar sol firme e águas mais quentes para aproveitar o mar.

A pousada de Búzios foi a Vila D’Este. Além de ser muito bonitinha e super confortável, tem uma localização excelente no Alto do Humaita, com uma saída de pedestres para a orla Bardot, quase onde ela termina e começa a Rua das Pedras. Essa localização é ótima para deixar o carro guardado à noite e poder sair à pé, sem se preocupar com vagas e bebidas.

image1

Vista da Pousada Vila D’Este

Búzios tem muitas praias e é impossível visitar todas elas com uma só visita curta. A praia mais famosa e com mais estrutura da cidade é Geribá. No canto direito está Continue reading

Uyuni – Roteiro Dia a Dia – Cordillera Traveller

As dicas práticas sobre o Uyuni estão nesse post aqui.

Como os roteiros feitos pelas agências que contratamos foram diferentes, optamos por fazer posts diferentes do dia a dia. Esse roteiro foi realizado com a Cordillera Traveller.

O roteiro realizado com a Estrella del Sur está nesse post aqui.

DIA 1 

O dia começou com um ônibus da Cordillera nos buscando no hotel às 07:00. Passamos pela emigração do Chile e fomos no mesmo ônibus até a imigração boliviana. 

img_5857-800x533

A fronteira já dá uma idéia do não-luxo que vem por aí.

Lá, trocamos para os jipes que iriam nos transportar pelos próximos 4 dias. No total, seriam 4 jipes. Dois deles foram ocupados com um grupo grande de 10 americanos. Os outros 2 foram ocupados com uma torre de babel. No nosso jipe estavam 2 brasileiros, 1 alemão, 1 holandesa, 1 francês e 1 chilena.

img_5861-800x533

Os jipes

Continue reading

O Principal de Bonito em 4 Dias

Bonito estava na minha lista de viagens há muito tempo, mas é aquele tipo de destino que você não quer tirar férias para conhecer, mas também acha que um feriado será pouco tempo.

img_0846

Na estrada

Até que um dia recebi um email desses sites de viagens baratas com um preço muito em conta para um pacote de passagem+hotel. Sempre que vejo essas promoções, fico com o radar ligado. Se os sites estão fazendo promoção, é porque provavelmente as passagens estão em conta. Continue reading

A região de Inle Lake

O Inle Lake é um lago na região Shan de Myanmar, com 116 km² de área e paisagens montanhosas ao seu redor.

img_0650

O turismo por lá é feito totalmente por meio de passeios de barco. As paisagens ao longo do passeio são lindas, mas Inle entrou no radar dos turistas por outra peculiaridade: a forma tradicional de pesca da população local. As fotos dos pescadores em pé no barco com a rede de pesca em seus pés já estamparam capas e capas de revista.

img_0708

Para ficar com as suas mãos livres, os pescadores desenvolveram uma técnica de remar e jogar suas redes com os pés. Eles vão da frente do barco, olhando com cuidado a água para ver se acham bolhas – o que mostra a existências de peixes no local. Quando encontram, jogam suas redes na água e enfiam pelo meio uma espécie de lança, não para machucar os peixes, mas para assustá-los. Continue reading

Yangon – introdução a Myanmar

Apesar de não ser a capital, Yangon é a cidade mais importante de Myanmar e principal porta de entrada no país. Assim, muita gente acaba passando pelo menos um dia por lá, o que, na minha opinião, é bem suficiente para conhecer as principais atrações turísticas da cidade.

img_0233-800x533

Yangon vista do quarto do hotel

Nós fizemos Yangon com um guia e carro privados, o que, no final, acabou sendo uma ótima opção. Logo que chegamos na cidade, descobrimos que o transporte público na cidade é uma loucura. Os ônibus não possuem horário nem itinerário fixo! As pessoas vão para o ponto e ficam ali esperando. Os ônibus vão passando e falando qual rota vão seguir naquele dia. Continue reading

Bagan – O Jardim de Templos de Myanmar

Embora Yangon tenha a impressionante Shwedagon Pagoda e o Inle Lake reúna características de uma sociedade ainda não tão afetada pela modernidade, não há como negar que a principal atração turística de Myanmar é mesmo Bagan.

A região era a antiga capital do Reino de Pagan (que mais tarde se tornaria o país Myanmar) e, durante os séculos XI e XII, mais de 10.000 templos, pagodas e monastérios foram construídos na região. O Império de Pagan caiu sob o domínio Mongol no século XIII, mas, atualmente, mais de 2.000 das antigas pagodas ainda estão por lá – algumas em melhor, outras em pior estado de conservação.

img_4701-small

Templos em Bagan

Eu já tinha visto milhares de fotos, lido bastante sobre o lugar, mas nada dá a dimensão exata da imensidão da área e de quão lindo é ver aquelas construções antigas em meio da vegetação. É lindo, é impactante, é tudo o que você vê nas fotos e muito mais! Continue reading

Myanmar na Prática e Visão Geral do País

Uma historinha bem rápida: o Myanmar era o antigo Reino de Pagan, império budista que foi responsável pela construção dos milhares (literalmente!) de templos na cidade de Bagan, que atualmente enlouquecem os turistas.  Ali também viveu o povo Shan, aquele que invadiu o Reino do Sião (antiga Tailândia) e destruiu a capital Ayuthaya.

Posteriormente, o país foi colonizado pelos britânicos (época em que se chamava Birmânia) e diversos edifícios da época da colonização ainda podem ser vistos no centro histórico de Yangon. Em 1948, o país tornou-se uma republica independente e logo em 1962 foi instalado um regime ditatorial militar que manteve o país fechado até o ano 2010, quando tiveram lugar as eleições democráticas.

img_4421

Talvez em razão do país ter sido aberto ao turismo há não tanto tempo, ainda não é tão fácil planejar a sua viagem inteira pela internet de forma independente, embora não seja impossível.

Por outro lado, é exatamente o fato de ter ficado fechado por tanto tempo que torna o país tão especial de ser visitado, com seus costumes e cultura ainda bem preservados.  Continue reading

Lençóis Maranhenses – Barreirinhas, Santo Amaro e Atins

Os Lençóis Maranhenses são um parque nacional com uma paisagem única no mundo. São dunas de areia espalhadas por quase 155.000 hectares e salpicadas com lagoas de água cristalina.

Fazia muito tempo que eu queria conhecer o lugar, mas não queria gastar férias e sempre ficava difícil conciliar os feriados disponíveis com a época boa de ir para a região.

image3

Uma das muitas lagoas

Melhor Época e Roteiro Continue reading

Alcântara – A Cidade que Parou no Tempo

Pesquisando sobre as atrações de São Luís do Maranhão, quase todos os relatos de viagem indicavam um bate-e-volta para Alcântara. Uma cidade antiga com alguns casarios bem conservados e outros em total ruína? Óbvio que entrou no roteiro.

img_9520-small

img_9551-small

Logo que você chega em Alcântara a sensação é de voltar no tempo. A imensa maioria das casas é em estilo antigo, as ruas são de paralelepípedo e a ausência de pessoas e carros na rua só aumenta a impressão de cidade cenográfica.  Continue reading